sexta-feira, 26 de setembro de 2014





FOME EMOCIONAL

O conceito de fome refere-se normalmente à sensação fisiológica pela qual o corpo manifesta que necessita de alimento para manter as actividades inerentes à vida.
Ora, o conceito de fome emocional expressa a vontade de comer em função do estado psicológico da pessoa e não em função das suas necessidades fisiológicas,
Assim, para algumas pessoas alguns sentimentos como a tristeza, carência afectiva e ansiedade podem ser amenizadas com alimentos que simbolizem algum tipo de prazer, conforto, alento ou recompensa. Este tipo de fome conduz normalmente a uma ingestão excessiva (normalmente de alimentos calóricos, açucarados e muito processados), podendo conduzir a ganho de peso.
A comida proporciona apenas uma satisfação passageira não resolvendo os problemas inerentes à alteração de humor. A situação agrava-se mais quando o aumento de peso afecta a auto-estima, provocando desvalorização pessoal e culpa o que por sua vez pode aumentar a fome emocional criando-se um ciclo vicioso.


Assim, quando as emoções comandam a fome, é necessário distinguir entre fome física e fome emocional e identificar o que desencadeia esta última.
A desconexão entre comida e emoção, tendo em vista a diminuição da fome emocional, exige a aprendizagem de estratégias para lidar com as emoções assim como o reforço da auto-estima. Em algumas situações poderá ser benéfico o acompanhamento psicoterapêutico.